Notícias

19/05/2018 - UOL Notícias

Golpe na internet tem 'roteiro' para seduzir mulheres; prejuízo passa de R$ 3 milhões


Por: Juliana Carpanez

Perfil criado no Facebook para 'Fred Hernandez' interagir com suas pretendentes Fred Hernandez tem 53 anos. Nasceu em Portugal, mas vive na Alemanha e não fala português direito. Tem 1,85 metro, pesa 84 quilos. Empreiteiro, também atua como importador e exportador de cabos subterrâneos usados por empresas de telecomunicações. Parece bem-sucedido. E também solitário: não se relaciona há três anos, desde que a mulher com quem foi casado por quase duas décadas morreu no parto. O bebê não resistiu.

Passado o baque, Fred se considera pronto para amar e ser amado de novo. Está disposto a sair de sua "concha de solidão", como ele mesmo define. Na busca por alguém especial, passou recentemente a usar sites e aplicativos de relacionamento.

De todas as informações acima, apenas a última frase é verdadeira. Com o agravante de aquele "alguém especial" ser, na real, a próxima vítima de um golpe financeiro. Se considerados apenas os inquéritos da 4ª delegacia de delitos praticados por meios eletrônicos do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), o grupo por trás do perfil de Fred Hernandez fez ao menos oito vítimas, que nos últimos meses perderam um total de R$ 3 milhões. Os policiais acreditam haver mais delas, espalhadas pelo país.

"Estou procurando um relacionamento sério com uma mulher que saiba o que quer. [...] Alguém com quem eu possa compartilhar meus medos, esperanças e ambições"
Trecho de mensagem escrita pelos golpistas

Cinco nigerianos e duas brasileiras dessa quadrilha foram presos no dia 4 de maio, quando a Polícia Civil deflagrou a operação Don Juan em São Paulo, Osasco (SP) e Santa Isabel (SP). Eles vão responder pelos crimes de organização criminosa, estelionato e lavagem de dinheiro, e as penas variam de acordo com o papel de cada um no golpe. As brasileiras, por exemplo, eram as titulares das contas bancárias utilizadas para receber o dinheiro.

Ao cumprir também mandados de busca e apreensão, os policiais encontraram uma espécie de roteiro do golpe, com textos divididos em quatro "passos", indicando aos criminosos o que escrever -trechos deste material estão espalhados no decorrer da reportagem. É aí que entra a história de Fred Hernandez, o viúvo solitário do início deste texto.

"Trata-se de um script [roteiro], uma receita de bolo que eles adaptam de acordo com cada vítima. Com acesso às informações de redes sociais [das mulheres], eles falam o que elas querem ouvir e vão cativando. É a exploração do emocional"
José Mariano de Araujo Filho, delegado responsável pela operação Don Juan 

A criação de um amor inventado

O UOL teve acesso a esses textos-base, redigidos originalmente em inglês pelos nigerianos e posteriormente traduzidos para o português com uma ferramenta do Google (os trechos aqui exibidos foram traduzidos pela reportagem). O resultado é certamente ruim, mas pode dar a impressão de que o "gringo" está empenhado em se comunicar na língua-mãe da pretendente. Um charme, digamos assim.

Cheia de erros de grafia e de gramática, a escrita original em inglês é tão ruim quanto à de outro golpe nigeriano mais manjado, chamado de 419 (http://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2014/01/1402312-o-golpe-nigeriano-umestratagema-bicentenario.shtml), no qual um africano pede ajuda para transferir uma herança/fortuna que lhe pertence, mas à qual não pode ter acesso.

"Estou solitário por um período muito grande e o trabalho quase me consumiu por completo. :) Mas estou pronto para amar e ser amado de novo para que eu possa sair da minha concha de solidão"
Trecho de mensagem escrita pelos golpistas

As mensagens galanteadoras começam a ser enviadas depois que os golpistas, usando perfis falsos, fazem contato com as vítimas em potencial nas mais diferentes plataformas: Tinder, Happen, Badoo, ParPerfeito e Facebook, citadas nominalmente pela polícia. Ao fazer uma pesquisa no Google com a imagem de perfil usado por Fred Hernandez, o buscador sugere uma página com significados para a palavra "gentleman" (homem gentil) e indica outras imagens que considera semelhantes -entre elas, uma do ministro Gilmar Mendes. 

Estabelecida uma conversa e oficializada a "amizade" em redes sociais (principalmente Facebook), eles coletam informações para envolver cada vez mais as vítimas. Todas mulheres. "Como os homens são mais imediatistas, o foco da ação está nelas. O desenrolar deste golpe pode levar meses. Ainda assim, identificamos algumas ações se especializando em enganar homens também", explica José Mariano de Araujo Filho, delegado titular da 4ª delegacia de delitos praticados por meios eletrônicos e responsável pela operação Don Juan.

"Estou testando essa plataforma para sair da minha vida solitária, pois perdi minha esposa e quero encontrar minha nova parceira aqui. [...] Tenho recebido mensagens de outras mulheres, mas não estava muito interessado até eu ver seu bonito perfil e contatar você"
Trecho de mensagem escrita pelos golpistas

Contrato de longo prazo e mudança para o Brasil

Toda a comunicação é feita via mensagens eletrônicas, sem nenhum contato telefônico, chamadas em vídeo ou encontro pessoal. Em determinado momento, também previsto no roteiro, o estrangeiro revela que fechou um contrato com uma grande empresa brasileira, para a qual vai fornecer cabos subterrâneos. O acordo tem duração de dez anos e, por isso, ele está de mudança para o Brasil -onde os dois poderão se conhecer melhor, claro.

Esta é a deixa para que um relacionamento até então baseado em textos e fotos passe a envolver números, num enredo cheio de impostos, taxas e transferências financeiras.

"Eu gostaria que você checasse suas mensagens frequentemente, para nossa comunicação ficar mais forte até que a gente consiga se encontrar"
Trecho de mensagem escrita pelos golpistas

Com um vínculo já estabelecido e a mudança para o Brasil tomando forma, o golpista diz que vai enviar objetos de valor, que ficarão em posse da mulher até sua chegada. "Joias de família, cerca de US$ 500 mil, títulos de propriedade", enumera o delegado.

A receptora -aqui com status de namorada ou algo equivalente- passa então a ser contatada por uma falsa transportadora internacional, que exige taxas e impostos para a liberação da encomenda. Até documentos de órgãos oficiais são fraudados para tornar as exigências mais convincentes.

"A vítima acha que vai receber tudo aquilo de volta, que é só um adiantamento. Ela vai recuperar o dinheiro [com seu conhecido estrangeiro] e ainda guardar todos aqueles bens com ela. Há também um olho grande por parte de quem recebe tudo isso", pondera José Mariano. Depois de feitas transferências -muitas vezes na casa de centenas de milhares de reais-, os golpistas somem, deixando para trás somente o prejuízo.

"Mesmo com toda a fama, dinheiro e luxo, a vida sem amor e família não vale nada. Espero que você concorde comigo sobre isso"
Trecho de mensagem escrita pelos golpistas

Organização internacional e liderança centralizada

Apesar das grandes quantias arrecadadas, os golpistas presos no Brasil foram encontrados em casas muito pobres de regiões carentes. José Mariano explica que esses criminosos não usufruem do dinheiro de suas vítimas, pois são obrigados a fazer inúmeras remessas de pequenos valores para cidades africanas. Na outra ponta deste envio estão os chefes da quadrilha.

"Sabemos que essa liderança exerce um poder muito forte, através de verdadeiro temor. É esta liderança que distribui os nigerianos em células no Brasil, inclusive sendo a responsável por autorizar que eles venham ao país ou tragam seus parentes para cá", conta o delegado. É definido até onde vão morar, com quem vão morar. E existe uma hierarquia bem definida, em que os novatos dão suporte aos mais experientes, até que estejam prontos para cooptar suas próprias vítimas. 

"Estou querendo e pronto para amar você por quem você é. Não sou uma pessoa materialista e você deve saber que a principal chave para um relacionamento duradouro é ter confiança, cuidado, amor, entendimento e atenção"
Trecho de mensagem escrita pelos golpistas

As investigações da operação Don Juan começaram há cerca de um ano. A 4ª delegacia de delitos praticados por meios eletrônicos já havia registrado o golpe algumas vezes, quando um inquérito foi aberto em Brasília apontando o mesmo problema. Ao cruzar as informações, os policiais perceberam não se tratar de ações isoladas, mas sim de fraudes orquestradas pela mesma organização. 

Dos 11 mandados de prisão, três foram cumpridos (duas brasileiras e um nigeriano). As outras quatro detenções foram feitas em flagrante naquele mesmo dia, em uma única casa. As investigações continuam, em busca de novas células e também dessas lideranças.  

As recentes prisões chamam a atenção para o golpe e colocam luz sobre seu funcionamento, mas não o impedem: é bem provável que continue sendo colocado em prática, considerando que a estrutura perdeu apenas algumas peças -nenhuma delas insubstituível- da engrenagem.

Sendo assim, vale o alerta. "Desconfie sempre da pessoa com quem conversa na internet, porque ela pode não ser quem diz. E, mesmo se confirmar sua identidade, continue desconfiando: um perfil verdadeiro pode ser invadido e controlado por um desconhecido. Tome cuidado também com o que você posta, principalmente se é daquelas pessoas que adiciona todo mundo que aparece na sua frente", aconselha o delegado José Mariano.

"Ansioso para receber sua resposta. Em anexo, minha foto de quando eu visitei o Brasil alguns dias atrás"
Trecho de mensagem escrita pelos golpistas



AVISO: O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. A DEALL R&I, divisão do IBRACAF Ltda., não avaliza as informações contidas neste artigo nem se responsabiliza por elas.